sexta-feira, 7 de junho de 2013

Os 10 melhores episódios de The Walking Dead (até agora) – Parte 1

Os 10 melhores episódios de The Walking Dead (até agora) – Parte 1

18 mai, 2013
Já faz mais de um mês desde o fim da terceira temporada de The Walking Dead e a quarta temporadacomeça somente em outubro e para matar a saudade da série até lá, nada como rever os episódios anteriores.
Confira a primeira parte da compilação com os 10 melhores episódios das três temporadas de The Walking Dead.

10. Days Gone By – 1ª temporada, episódio 01 (S01E01)

The Walking Dead melhores episódios
Qual a melhor forma de começar essa lista, se não com o episódio onde tudo começou? Geralmente, o episódio piloto é a chance que uma série tem de deixar os espectadores decidirem se querem continuar a assisti-la ou não. Os protagonistas são apresentados, a sorte é lançada e, o resto do show é preparado para a longa jornada. Um bom episódio piloto tem que ser uma maneira divertida e eficaz de prender a atenção, e Days Gone By trouxe isso de forma fantástica.
Beneficiando-se de uma duração estendida de uma hora, o episódio foca não em apresentar cada aspecto da série num único episódio, mas na jornada arrepiante e solitária do policial Rick Grimes (Andrew Lincoln) assim que ele acorda para um mundo invadido por mortos vivos. A maior parte do episódio mostra Rick Grimes vagando por uma Georgia deserta e pós-apocalíptica, onde as únicas pessoas com as quais ele interage são Morgan (Lennie James) e seu filho Duane, além de um cavalo que, infelizmente, não sobrevive. Boa parte do elenco principal aparece brevemente na segunda metade, mas o episódio foi o show de Andrew Lincoln.
Muita coisa dependeu da atuação de Lincoln, a qual ele deu seu melhor. Ele é pacífico e solidário e ao mesmo tempo, é um homem desesperado tentando encontrar sua família após ter sido jogado num mundo que ele mal compreende. Com o olho cinematográfico de Frank Darabont como diretor, ajudou a fazer esse episódio excepcional, fazendo-o parecer com um dos filmes de grande orçamento de Hollywood. A fotografia e a falta de uma trilha sonora constante deram um sentimento sombrio e de vazio às paisagens exuberantes, aumentando a sensação de terror.
Há incríveis efeitos gore, muitos zumbis, ação emocionante e, o mais importante, senso de humanidade. Quando Morgan se desmancha em lágrimas quando se vê incapaz de matar sua esposa infectada em vez de dizimar cada zumbi que está na frente da sua casa, sabemos que essa será uma história diferente de zumbis. Esse seria um passeio sombrio e realista. Ninguém é de ferro e ninguém, do nada, se transforma num guerreiro sem emoção quando chega o fim do mundo. Esse episódio deu a Rick Grimes um motivo por que lutar e deu aos espectadores alguém por quem torcer.
E como bônus, o piloto segue os eventos quase como os da HQ, e antes que hajam desvios, já se sabe o que acontecerá mais à frente. Fãs da HQ podem ter o prazer de, literalmente, verem as páginas ganhando vida a cada avanço no episódio.

09. Better Angels – Segunda temporada, episódio 02

The Walking Dead melhores episódios
Esse episódio fechou um grande arco que levou quase duas temporadas para a decisão. Rick e Shane têm discutido desde que Rick voltou do coma e reencontrou sua família. A primeira temporada terminou com os dois aparentemente concordando em ir para o Fort Benning. No início da segunda temporada, no entanto, Shane parece estar decidido em se virar sozinho. Ele não aguenta ver a mulher que ama, Lori, de volta com o homem que achava estar morto.
O triângulo amoroso entre Rick, Lori e Shane é amadurecido pelo drama de confronto, algo que foi mais explorado do que nos quadrinhos. Tendo Shane sobrevivido a mais tempo que na HQ, proporcionou um melhor desvio da ideia original. Ele foi um dos principais focos na segunda temporada, assim como o assassinato de Otis, que o levou direto à loucura, acabando no memorável cara-a-cara de Rick e Shane à luz da lua. Essa única cena seria suficiente para o episódio ganhar lugar nesta lista. Foi um impasse tenso em um ambiente sereno, e, sem avisar, entrega uma conclusão chocante.
Shane sempre teve inveja de Rick, fosse pelo papel de líder, fosse por um lugar na vida de Lori. Teria sido fácil fazer Shane um frívolo personagem quanto a isso. Contudo, os escritores infundiram muitas camadas ao personagem que, mesmo que algumas de suas ações fossem terríveis, não se podia evitar simpatizar com sua situação. De fato, Shane se tornou um estorvo para Rick, tornando seu senso de decisões mais pragmático e agressivo.
Ele pode tomar a decisão correta às vezes, mas as pessoas se machucavam com seus métodos. Shane representou o que acontece quando se abandona a civilização e se depara com instintos primitivos e bárbaros de um mundo novo. Ele sempre tentou superar a humanidade de Rick, mas, no fim, a forma pragmática de pensar de Shane o levou à faca afiada de Rick em prantos. Como se não fosse suficiente, Shane volta como um walker e é morto de vez por Carl, espelhando uma infame cena dos quadrinhos.

 08. Clear – Terceira temporada, episódio 12

The Walking Dead melhores episódios
Clear foi o episódio considerado por muitos como um dos melhores de toda a série, e com boas razões. Por um lado, Michonne (Danai Gurira) é caracterizada como independente e inconsistente, algo que tem sido um problema na terceira temporada. Antes desse episódio, Michonne não apresentou possuir grandes emoções. Se foi intencional para a natureza cautelosa da personagem ou um erro no desenvolvimento da mesma para as telas, está em discussão.
Ela finalmente falou com Rick sobre seu passado, ajudou Carl num momento comovente, criando um vínculo durante o processo e soltou uma piadinha aqui e ali. Foi um grande momento para seu personagem finalmente mostrar que vai lutar pelo grupo, e conseguir certa aceitação dentro dele. Quem diria que tudo se acertaria com Michonne apenas por mandá-la numa viagem com Rick Grimes e seu filho à sua terra natal?
Talvez o melhor momento nesse episódio, no entanto, foi o retorno de Morgan. O único personagem que não vimos desde o primeiro episódio. Enquanto Michonne e Carl se aventuram pela cidade, Rick foi forçado a enfrentar o passado e, de certa forma, seu presente. Os poucos episódios anteriores a Clear mostraram Rick no ápice da sua loucura, perambulando além dos portões da prisão, procurando uma visão de sua esposa morta e delirando como um louco. Esse episódio fez Rick ver que ele pode acabar se tornando Morgan, que agora é um eremita paranoico que coleciona armas e armadilhas.
Logo após saber da terrível morte do filho de Morgan, Duane, assim como vendo a forma que ele vive, Rick finalmente consegue ver os erros em suas ações. Ele pede para Morgan voltar com ele, como forma de acordá-lo e trazê-lo de volta à ação. Esse foi o primeiro passo da volta de Rick ao normal, deixando-o mais absorto mais tarde no fim da terceira temporada, um volta e tanto para o seu personagem. As cenas entre Andrew Lincoln (Rick Grimes) e Lennie James (Morgan) foram uns dos melhores momentos dramáticos que a série ofereceu, e proporciona um fim gratificante para um arco que tem permanecido adormecido desde o primeiro episódio.

07. Pretty Much Dead Already – Segunda temporada, episódio 07

The Walking Dead melhores episódios
Fale com qualquer um que assista à série e a maioria vai concordar que ela atingiu um grande impacto durante a primeira metade da segunda temporada. Enquanto esse período da série salientou o desenvolvimento do personagem e traumas pessoais, houve muitas vezes aonde chegou muito perto de se tornar repetitivo. Entre elas estava o arco super estendido de procura à Sofia, a garota que sumiu desde a première da segunda temporada. Do jeito que as coisas estavam indo, parecia que o arco duraria a temporada toda. O episódio 07 veio e nos acertou de surpresa, nos deixando com o coração a mil, num dos momentos mais emocionantes da série.
O episódio deu início à irreparável divisão que eventualmente separaria Rick e Shane. Com a ciência de que havia walkers no celeiro, Shane se faz ouvir e proclama que a única forma deles ficarem seguros, era limpando o celeiro, mesmo com alguns dos familiares zumbificados de Hershel lá dentro.
Era o seu momento de estabelecer a dominância sobre todo o grupo, fazendo o que achava ser melhor, sem se importar com as consequências. Shane e alguns outros atiram várias vezes contra os mortos vivos que saem do celeiro. Ainda que fossem zumbis assassinos, a forma assustadora que foram mortos parecia um massacre sem sentido. Quando a poeira baixou, no entanto, o último walker sai do celeiro. Era a pequena Sophia, e no mesmo instante, tudo desmoronou.
Como os outros pareciam em choque ou tristes, Rick, que permaneceu e se recusou a se juntar no tiroteio contra os walkers, vai e faz o que tem que ser feito. Ele atira na cabeça de Sophia pondo um fim no seu sofrimento, e novamente se restabelece como o verdadeiro líder do grupo. Toda a sequência do tiroteio no celeiro até o último tiro foi emocionante, muito bem filmado, beneficiando o impacto súbito emocional. Esse episódio marcou a transição da segunda temporada para uma saga memorável onde ninguém está a salvo

Nenhum comentário:

Postar um comentário